Busque no site:

Notícias


Fique por dentro das últimas notícias.

14.09.2018


Fita PET e a sustentabilidade


           Você já deve ter visto a fita PET agrupando cargas pesadas, em setores como madeireiras, cerâmicas, logística etc. Isso se deve à resistência e segurança que só a fita PET possui.


            A fita é feita de poliéster, que se refere ao polietileno tereftalato (PET), um polímero que inclui produtos químicos que ocorrem naturalmente, como a cutina, e produtos químicos sintéticos, como o policarbonato e polibutirato. Esse material possui elevada taxa de tenacidade, ou seja, o impacto necessário para levar o material à ruptura. Além disso, conta com uma elevada taxa no módulo Young, que é o parâmetro mecânico que proporciona uma medida referente à rigidez do material. Essa medida leva em consideração quesitos como a tensão de ruptura e a variação de temperatura crítica para a propagação de trincas sob a ação de choque térmico. Tal taxa é o resultado da razão entre a tensão exercida e a deformação sofrida pelo material.

            Assim sendo, além de ser resistente à umidade e intempéries, e fita PET pode suportar altas capacidades de carga sem perder tensionamento ou sofrer qualquer tipo de dano, garantindo a integridade da carga durante todo o processo. Por isso, é sempre a primeira escolha para a arqueação de cargas pesadas, que precisam de segurança no transporte, mas sem exercer força demais, danificando o material.

            A fita PET pode ser utilizada com vários equipamentos, podendo ser selada com o uso de selos metálicos ou por termosoldagem. O uso do selo já é costumeiro em muitos setores, e garante x% de eficiência no ponto de ruptura. Mas, com o avanço da tecnologia no setor de equipamentos para fechamento de embalagens, máquinas como a CM 40, CM 42 ou a CMT 19 já oferecem uma nova alternativa para tal tarefa.

            O poliéster é um material termoplástico, o que significa que eles mudam de forma após a aplicação de calor. Sabendo disso, a termosoldagem inovou o processo possibilitando a soldagem por fricção. As máquinas com tal funcionalidade fundem os dois pontos da fita – onde seria aplicado o selo – selando-a de maneira rápida, funcional e muito segura.

            O ponto de ruptura da soldagem por fricção tem uma eficiência de 75-80%. Tudo isso, faz com que a fita PET com solda sem selo seja perfeita para cargas que precisam suportar impactos durante o transporte, ou que não percam tensionamento enquanto a carga se acomoda, como no caso de madeiras secando.

            Além de todas essas vantagens, é preciso também levar em consideração a questão ambiental. Afinal, ter atitudes responsáveis acerca do meio ambiente é uma responsabilidade de todos. Por isso, a fita PET é uma grande aliada dos negócios.

            Os poliésteres naturais são biodegradáveis, mas os outros não. Então, quando uma carga chega ao destino, as fitas de arquear devem ser descartadas da maneira correta, sendo sempre encaminhadas para a reciclagem. O fato de máquinas que realizam a termosoldagem não utilizarem selos facilita ainda mais este processo, uma vez que o trecho com o selo dificilmente pode ser reaproveitado.

            Todavia, a fita não necessariamente precisa ser dispensada. Com a facilidade das características termoplásticas do poliéster e a funcionalidade das máquinas de arquear da Comeplast, a fita pode ser reaproveitada na própria empresa. Basta guardar a fita já utilizada, soldá-la, utilizando uma máquina como a CM 40, por exemplo, e utilizá-la novamente. Este processo não prejudica em absoluto a eficiência da arqueação ou o ponto de ruptura do material. E, além de ajudar o meio ambiente produzindo menos resíduos, ainda vai garantir menos custos para a sua empresa e, logo, mais lucros.

            É uma excelente alternativa para substituir a fita de aço, sendo mais leve, mais resiste e muito mais prática de ser utilizada, o que melhora o processo produtivo, trazendo agilidade e conforto para os colaboradores. Com tantos benefícios, a fita PET se consolida como a melhor opção de arqueamento para diversos setores, seus clientes e para o meio ambiente.


Divulgue esta notícia em seu Instagram Divulgue esta notícia em seu Facebook Divulgue esta notícia em seu G plus Divulgue esta notícia em seu Twitter

Galeria de Fotos. Clique para ampliar:



Notícias anteriores